Vazamento de gás

Legistas confirmam asfixia como causa da morte de casal dentro de motor home em Gramado

Perícia preliminar no veículo também apontou defeitos que sugerem o mau funcionamento do aquecedor

Sem conexão
Peritos verificam sistema d e gás para confirmar se houve um vazamento no motor home

Os peritos do Posto Médico-Legal (PML) de Taquara confirmaram que a secretária de Educação de Gravataí, Sonia Oliveira, e o marido dela, Ricardo Abreu, morreram por asfixia. O casal foi encontrado dentro de um motor home em um camping de Gramado na noite desta terça-feira (3). A informação dos legistas, que foi repassada à Polícia Civil, confirma a linha de investigação de que houve um vazamento de gás em razão de uma falha no aquecedor do veículo.

A causa da morte foi informada na tarde desta quarta-feira (4) ao delegado Gustavo Celiberto Barcellos, titular da Delegacia de Polícia de Gramado.

— Fizemos este contato com o PML de Taquara e já temos a confirmação das causas das mortes. Realmente aconteceram por asfixia em razão do monóxido de carbono. Em princípio, confirma a nossa tese de investigação de que, em razão de problemas nos equipamentos de aquecimento, esse gás ingressou no ambiente das vítimas que, provavelmente, estavam dormindo e não perceberam, o que levou à asfixia.

O casal estava em um furgão que foi transformado em motor home, segundo a Polícia Civil.  Na noite dos fatos, os policiais já haviam relatado que o botijão de gás estava vazio e o equipamento de passagem de gás "batia como se estivesse ligado". Na tarde desta quarta-feira (4), o veículo foi analisado por peritos de Porto Alegre.

—  A perícia reforça nossa linha de investigação. Foram encontrados, no funcionamento do aquecedor, alguns defeitos que apontam para uma queima errada que pode ter gerado a ingestão do monóxido de carbono pelas vítimas — diz o delegado, que ainda aguarda o laudo completo da perícia no veículo.

A situação do motor home, que não foi fabricado por nenhuma empresa conhecida do ramo, ainda é investigada pela Polícia Civil. O veículo é um furgão que foi transformado e adaptado.

— Acreditamos que não tenha certificações. Vamos verificar quem fez ou quem montou (o veículo). A vítima (Ricardo Abreu) trabalhava com mecânica, então existe essa possibilidade de ele ter participado — pondera o delegado Barcellos.

Sem conexão
Secretária da Educação de Gravataí, Sonia Oliveira

Policiais não encontraram sinais de violência no camping

Sonia e Abreu, de Gravataí, aproveitaram o final de semana seguido de feriado municipal para visitar a Serra e, segundo a Polícia Civil, tinham combinado de voltar para casa na segunda-feira (2). A preocupação aumentou quando a secretária de Educação não apareceu para trabalhar na terça-feira (3).

A família acionou a polícia e a Brigada Militar (BM) foi até o camping, onde encontrou o motor home fechado. Pelas janelas, os PMs conseguiram visualizar os dois corpos caídos e acionaram a Polícia Civil. O casal já estava morto.

Segundo a Polícia Civil, não foi encontrado nenhum sinal de violência nos corpos ou no motor home. Todos os pertences das vítimas estavam no veículo, incluindo carteiras, bolsa e dinheiro. A hipótese de um crime patrimonial está praticamente descartada.

O camping onde o casal estava fica no bairro Avenida Central, entre Gramado e Canela. A investigação solicitou as imagens das câmeras do local que monitoram a entrada e as laterais do terreno, que possui uma área bem extensa.


Mais GZH